Pá de cal

O esquema desvendado pelas empreiteiras Andrade Gutierrez e Odebrecht envolvendo o ainda senador Aécio Neves (PSDB), deverá jogar uma pá de cal não só na carreira do senador mineiro, como levar outras figuras conhecidas no mercado financeiro para detrás das grades. O banco suíço Credit Suisse e o brasileiro BTG já se preparam para o que está por vir. Sorte deles que a força-tarefa da Lava Jato ainda não descobriu outras estruturas mais complexas para ocultar bilhões de reais de dinheiro oriundos de esquemas.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: