O trem descarrilou

Minas, o segundo maior colégio eleitoral do país, está fora dos  trilhos e não sabe como voltar, diante da falta de nomes para as próximas eleições. Desde a República do Café com Leite, Minas  sempre teve políticos protagonizando de alguma maneira as decisões importantes do país. Hoje, sem herdeiros com condições de ficar à frente do estado, os mineiros se sentem envergonhados e perdidos. “Tudo passa por Minas”e não foi diferente com a corrupção. Lembrando Tancredo Neves: “Esperteza, quando é muita, come o dono”.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: