Pesadelo goiano

O banco suíço Credit Suisse, conhecida lavanderia global especializada em obras de arte, tenta apagar seus rastros de um passado não muito distante na Saneago e CELG. Na época áurea dessas estatais, sob o comando de governos tucanos, o banco ganhou dezenas milhões de reais em comissões e as repartiu religiosamente com apoiadores e assessores goianos. O temor do banco é que, com Ronaldo Caiado (DEM) eleito, os esquemas do banco em Goiás sejam finalmente desvendados e colocados no holofote para o Ministério Público e a Polícia Federal.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: