Tiro mortal

A delação do ex-ministro Antonio Palocci afirmando que Lula, Dilma e Sérgio Gabrielli, então presidente da Petrobras, sabiam da corrupção na empresa é outro tiro mortal na campanha de Fernando Haddad. Como um dos coordenadores de Haddad, Gabrielli será denunciado novamente pelo Ministério Público Federal e pela Polícia Federal e terá que sentar mais uma vez diante do juiz Sérgio Moro para dar explicações de novos e graves fatos durante sua gestão na presidência da Petrobras. Será difícil para Gabrielli fugir de uma ordem de prisão de Sérgio Moro.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: