Ônus sem bônus

A volta de André Esteves para o comando do BTG tem causado baixas pesadas ao banco. O último que não aguentou e pediu para sair foi José Zitelmann, que chefiava a área de administração de recursos do banco. Muito rico e realizado, o baiano, que completou neste ano 20 anos na instituição, deixa o BTG espertamente em um momento onde sobram ônus e faltam bônus.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: