Suspeição (II) A defesa do Estado Democrático

A mesma revista digital Crusoé trouxe em evidência detalhes da planilha da Odebrecht com propina de R$ 1,5 milhão para Rodrigo Maia e seu pai César Maia para eleições passadas, constante de investigação em andamento no MPF. Não caberia aqui um processo de suspeição também, agora para Rodrigo Maia, que como Presidente da Câmara tem liderado o processo de obstrução do pacote anticrime, corrupção e criminalização do caixa dois encaminhado pelo Ministro Sérgio Moro. Mais uma vez ficaram claros os interesses pessoais de Maia, seus familiares e das oligarquias políticas que representa, o que torna mais do que apropriado e premente declarar sua suspeição. O Estado Democrático agradeceria.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: