Elo cruel

Continua repercutindo no mercado financeiro as prisões de altos executivos do Banco Paulista. Com base em aprovações solicitadas aos superiores em e-mails por um dos presos para operações de câmbio, os investigadores da Lava Jato conseguiram obter provas concretas que concluíram que o Banco Paulista e a Corretora Socopa operavam na prática como uma empresa só. A separação entre empresas e executivos era apenas de fachada e servia para tentar segregar riscos e eventuais passivos.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: