A Globo e as ratoeiras

O anúncio da aliança entre as Organizações Globo e a Stone marca a entrada do grupo no multi-bilionário mercado brasileiro de maquininhas ou ratoeiras, como são conhecidas pelos executivos do mercado financeiro na região da Faria Lima. Após alienar por décadas a população brasileira e sofrer com o jejum imposto por Jair Bolsonaro, a Globo tenta novas fontes de receita para manter pelo menos de sua estrutura imperial. A aposta da Globo na Stone segue os passos dos acionistas da Folha, que preservaram seu patrimônio com a PagSeguro, mas acontece tarde e em um momento de ruptura, onde as maquininhas estão sendo substituídas rapidamente pelo QR Code. Com isso, a impressão que fica é que o Grupo Globo continua lento e desinformado sobre inovações e apegado a seu passado glorioso, enquanto seus concorrentes há muito tempo migraram pra era digital e outras fontes de receita como meios de pagamento.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: