O antídoto do populismo

Editorial do Estadão faz alerta sobre “resiliência do populismo na América Latina” manifestado nos resultados das prévias na Argentina. Aponta ainda como antídoto para o Brasil “governos responsáveis” e a união da sociedade para “bons propósitos”. Mas como chegar lá? Sob a liderança de Bolsonaro que governa mais para os filhos e Rodrigo Maia e Dias Toffoli mais interessados com os maus propósitos, volta a pairar a sombra do populismo farsante movido por uma corrupção generalizada que vigorava na era PT/PMDB. O verdadeiro antídoto chama-se Sérgio Moro.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: