Empurrão de Afogados

O que parecia ser uma história de parceiros competentes e éticos, acabou se transformando em briga, degenerando para crônica policial sem final feliz. Marcelo Odebrecht e Bernardo Gradin surgiram para o grupo Odebrecht como salvadores da pátria, a companhia passava por grave crise de liquidez, no momento da ascensão de Lula a chefia da nação, que na verdade seria o grande salvador da companhia. Até que uma desavença mal explicada selou o fim da parceria. Gradin, minoritário, recusou o valor ofertado para a retirada de sua família da organização. Com a queda da máscara da honestidade e competência, Marcelo assistiu durante dois anos e meio o sol nascer quadrado, sendo acusado de todos os maus feitos praticados na empresa, inclusive pelo próprio pai. Tentando se salvar Marcelo delatou vários integrantes da gangue, atingindo Gradin mortalmente. Com a reputação desmascarada e atirada ao lixo, para não ver o sol pelo mesmo ângulo de Marcelo, só lhe resta a delação que deverá fazer com rancor e o ódio da vingança. Deve ser para Emílio a batalha de Waterloo.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: