Até Irmã Dulce é vítima de Nizan Guanaes

O publicitário baiano Nizan Guanaes é um insaciável quando quer aparecer. Foi assim nas festividades do aniversário da mulher, Donata Meirelles, quando ela foi vítima de querer realizar um ato social com as cores do candomblé. Agora, ele produz uma música para Irmã Dulce com o título “Pequena gigante” e convida vários cantores e cantoras para as gravações. Entre eles Durval Lelys, Preta Gil, Ivete Sangalo e outros com apenas um detalhe: nenhum dos convidados fez um show em benefício das obras Irmã Dulce. Quando adolescente ela tocava acordeon e no seu hino oficial “Doce luz” dos compositores Léo Pascoal e Chico Gomes, a gravação é do sanfoneiro Valdomiro, que lembra a sensibilidade e a luz da freira. Ela nunca saiu de casa para assistir a um desfile dos filhos de Gandhi como está no hino de Nizan Guanaes. Não é possível que numa festa extraordinária para canonização de Irmã Dulce apareçam os aproveitadores. 

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: