Piada pronta

Quando um procurador de Minas Gerais faz um desabafo dizendo que não consegue viver com R$ 24 mil e que esse valor é “miserê”, o que se pode esperar? Indignação e chacota tomaram conta de conversas dentro e fora da internet. Leonardo Azeredo Santos, que recebeu de janeiro a junho de 2019 cerca de R$ 68 mil por mês, questionou o valor de 24 mil durante reunião que discutia a proposta orçamentária para 2020. No áudio, que foi exibido em alguns telejornais e que circulou na internet, ele diz que não está acostumado a viver com tantas limitações e que já está reduzindo seu gasto com cartão de crédito de R$20 mil para R$ 8 mil. Vários memes apareceram nas redes sociais e um advogado colocou uma caixa de papelão com uma placa pedindo doações para o procurador. O que uma pessoa que sustenta sua família com um salário mínimo deve pensar de um sujeito desses? Aparentemente, mesmo que seja para o equilíbrio das contas do estado, ninguém quer mexer em seus privilégios. Parece até fake news, mas não é.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: