Agravamento da discórdia

Com a demissão de Marcelo Odebrecht, por ordem do Pai, a dissensão no seio familiar do clã tende a aumentar. O “Príncipe”, como era conhecido o primogênito, sofreu um sério revés em sua pretensão de retornar ao comando da Odebrecht, mesmo de forma indireta. O conflito com seu pai, que teve início quando Marcelo foi preso pela Operação Lava a Jato, tem se agravado com as suas declarações e atitudes contrárias de Emílio na reestruturação do grupo e conflitantes com os familiares. A briga entre os Odebrecht refletiu negativamente na Recuperação Judicial e poderá impactar até mesmo o empreendimento imobiliário noticiado anteriormente por esta coluna. Pelo visto, para que o mercado volte a confiar no Grupo Odebrecht, principalmente em seu líder, este deverá dar sinais de que os problemas familiares foram resolvidos e o “risco Odebrecht” virou coisa do passado.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: