De cá o meu!

Roberto Requião joga duro com os militares. Segundo o ex-senador paranaense, os cerca de 3 mil militares que estão no governo Bolsonaro, atualmente, são corporativistas com objetivos exclusivos de aumentar seus próprios salários. Ou seja, os generais, de pijama ou da ativa, que seguem o capitão-presidente estão longe de representar o meio milhão de militares que compõem, hoje, as três forças armadas do Brasil.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: