País da rachadinha

Do Oiapoque ao Chuí, a rachadinha há décadas é uma prática comum no poder legislativo em todas as esferas. Com lacunas legais que lembram o caixa dois, a prática generalizada é um dos principais incentivos dos candidatos a vereador e a deputados. Com as verbas de gabinete e a rachadinha com os assessores e indicados, parlamentares “sobrevivem” e conseguem recuperar grande parte do que foi “Investido” em campanha ou para manter seus currais.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: