Sinal vermelho

Pelo bem dos cofres municipais, a decisão do prefeito ACM Neto pela abertura de bares e restaurantes puxou, de imediato, o retorno das blitzes da Lei Seca nas vias de Salvador. O faturamento decorrente da aplicação das multas contra a ingestão de álcool é fabulosa na capital baiana, e mesmo com os agentes municipais ainda às voltas com a pandemia e as flexibilizações no uso dos espaços públicos, equipes da Transalvador já voltam à carga contra os motoristas que trafegam nas ruas da capital baiana. Afinal, a Secretaria municipal da Fazenda está ávida de aumentar, logo, o faturamento. Por ano, a gestão de ACM Neto arrecada cerca de 100 milhões, utilizando mais de uma centena de câmeras para flagrante de infrações no trânsito. O dinheiro amealhado com as multas volta para investimentos na pasta de trânsito… inclusive mais câmeras.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: