Sem pé nem cabeça

Coisas sem pé nem cabeça nascem no Palácio Thomé de Souza tentando evitar a expansão da pandemia na capital baiana. Salvador foi a primeira a fechar tudo no início da pandemia, mas ainda hoje claudica nas ordens de flexibilização assinadas pelo prefeito ACM Neto. Pra frequentar a praia, o banhista fica atordoado com tanto protocolo municipal do que pode e do que é proibido. Ambulantes de alimentos, fora da areia da praia. Na calçada pode.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: