Gilmar Mendes: “esperteza, quando demais, engole o dono”

A artimanha processual de Gilmar Mendes para proteger seu parceiro José Serra foi desmascarada e não avançou. O ministro chapa branca do STF enviou a denúncia do MP de caixa dois do senador Serra para 1ª instância de SP no mesmo dia de sua prescrição. O juiz da 1ª Zona Eleitoral paulista não caiu no golpe e, sem deixar prescrever, tornou José Serra réu por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e caixa dois no processo onde é acusado de receber R$ 5 milhões da Qualicorp na campanha de 2014. E diziam que a Justiça Eleitoral iria acobertar corruptos de colarinho branco, não em São Paulo. Parabéns.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: