O “estupro culposo” e as mazelas da justiça brasileira (II)

Alguns membros do STF não cansam de dar exemplos do êxito do “mecanismo” de proteção ao nocivo “establishment” dominante. O STJ virou um paraíso do nepotismo, um verdadeiro balcão de negócios. Não faltam exemplos na alta magistratura para enxergarmos a ruína do princípio da igualdade de direitos, o que faz alimentar a criminalidade na elite opulenta pela certeza do mercantilismo da impunidade. Como avançar como uma sociedade igualitária convivendo com um padrão de justiça imoral.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: