Cambalhotas eleitorais II

Por outro lado, o partido PSOL surgiu das cinzas repetidas em eleições passadas. Seu principal nome – Guilherme Boulos – virou o queridinho da mídia paulista e nacional, após abrir caminho e chegar ao segundo turno na capital paulista. O partido também inovou na disputa oficializando (e divulgando inteligentemente) a novidade das “candidaturas coletivas” para o eleitor e os veículos de comunicação. Deu certo na mídia e nas urnas. O PSOL virou moda em 2020. Se ganhar São Paulo, Boulos vira o verdugo de Bolsonaro em 2022.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: