Moro provoca ciúmes e temor (II)

Tradicional pregador da hegemonia paulista, o Estadão parece não enxergar que é de São Paulo que operam os principais corruptores da Lava Jato, influentes símbolos do empresariado local como Camargo Corrêa, Odebrecht, OAS, UTC. O “lavajatismo” que o jornal condenou alcançou emblemáticos políticos paulistas como Temer, Serra, Alckmin, Lula, José Dirceu, Palocci, Paulo Maluf e muitos outros e ainda provocou a derrocada do PSDB, corroendo a imagem de primazia que o periódico tratava seus conterrâneos. Moro aplicou um duro golpe no bairrismo, na altivez regionalista do Estadão. Um choque de realidade difícil de aceitar: corrupção não é um privilégio do Rio, Minas Gerais, Bahia, etc.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: