Os Bolsonaro lembram as torturas da ditadura militar e sacrificam o Exército

Primeiro foi o deputado federal Eduardo Bolsonaro, em entrevista à CNN, que fez apologia do coronel Brilhante Ustra, um dos maiores torturadores durante o período militar. Chegou a pedir que o telespectador comprasse o livro de Ustra. Ontem, Brasília ferveu quando o pai e presidente Jair Bolsonaro elogiou as torturas sofridas pela ex-presidente Dilma Rousseff. Em todos os setores, a revolta foi geral: políticos, empresários, e a sociedade civil. É lamentável que este homem volte a sacrificar, mais uma vez, o Exército. Desde que ele assumiu, essa força militar tem perdido prestígio e, além do mais, fatos gravíssimos estão sendo relembrados. É uma situação preocupante. 

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: