Delação no capricho no Tribunal de Justiça da Bahia

Considerando-se “peça fundamental” para elucidar o esquema criminoso de vendas de sentenças no Tribunal de Justiça da Bahia, o advogado-delator Júlio César Cavalcanti, pediu ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) que seja aplicado o seu perdão judicial, com a consequente exclusão de sua pena. Justifica que sua entrega foi positiva, já que a delação foi crucial para a investigação que levou a denúncia contra a desembargadora Lígia Maria Ramos e os filhos dela, Rui Carlos Barata Lima Filho, Arthur Gabriel Ramos Barata Lima, além dos operadores Diego Freitas Ribeiro e Sérgio Celso Nunes Santos. Por fim, a defesa do advogado afirmou que o cliente colocou em risco a própria vida, “realizando operações controladas, percorrendo três estados e lidando com diversos agentes criminosos”.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: