Genro de Léo Pinheiro da OAS é queimado no PIB paulista

O presidente da Caixa Econômica, Pedro Guimarães — genro do ex-todo-poderoso da OAS, Léo Pinheiro, preso e condenado —, está queimado com o PIB paulista. Foi ele o autor da primeira agressão à Febraban a mando do seu patrão, o presidente Bolsonaro. Depois teve que recuar também com o presidente do Banco do Brasil, e a Febraban divulgou uma nota extraordinária defendendo a democracia no Brasil. Quem ficou mal foi o presidente Paulo Skaf da Fiesp, que por sinal já está deixando o cargo. 

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: