A ameaça de uma class action contra a Vale nos EUA

Atingida pelas descobertas da Operação Lava Jato, a Petrobras fechou em 2018 um acordo para indenizar os investidores americanos em US$ 3 bilhões. A Vale pode sofrer uma situação semelhante. O advogado Carlos Henrique Bastos da Silva enviou para a Securities and Exchange Commission (SEC), a CVM americana, uma denúncia afirmando que a Vale omitiu informações relevantes dos seus investidores minoritários sobre a joint venture firmada com o bilionário israelense Beny Steinmetz para explorar jazidas de ferro na Guiné. A parceria foi firmada em 2010. No ano seguinte, o governo da Guiné afirmou que as licenças de mineração foram obtidas por Steinmetz por meio de corrupção. A Vale alegou que não sabia de nada, processou Steinmetz e ganhou em 2019 o direito de ser indenizada em US$ 2 bilhões. Para não pagar a conta, Steinmetz contratou ex-agentes do Mossad que conseguiram extrair dos ex-dirigentes da Vale depoimentos em que eles contam que sabiam das histórias de corrupção. Como os fatos não chegaram ao conhecimento dos minoritários, a Vale pode ser processada por infringir as regras de transparência.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: