Num belo espaço em Salvador ele ouviu novos ritmos e ficou impressionado

O Axé não se sustenta mais, já que não encanta a juventude. No Espaço Cultural Colaboraê, onde funciona também um belo restaurante, Cuia Gastronomia, vários novos músicos baianos tocaram num bonito espaço onde figura o ateliê Elano Passos, estúdio de gravação, área de produção cultural e outra de eventos. Durante dois dias, o porto-riquenho ouviu músicos e sons novos que ele levou para o seu país. É desse tipo de impulso que a música baiana precisa reviver, já que o Axé, vale repetir, como disse o jovem, só quem lembra é a velha guarda: “Meu avô e meu pai”. 

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: