Veto surpresa

O veto do presidente Jair Bolsonaro ao artigo 28 da Lei 14.300, que instituiu o marco legal da micro e mini geração distribuída, foi um balde de água fria para investidores do mercado de energia renovável e surpreendeu a todos. Com o veto, projetos de geração distribuída continuarão a ter poucas opções de financiamento para sua expansão. O veto atende apenas aos interesses das distribuidoras de energia, que não querem concorrência em suas áreas de concessão. Mais um tiro no pé do presidente. Associações de classe já articulam com parlamentares a derrubada do veto no retorno do recesso do Legislativo.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: