Jaques Wagner e Odebrecht fervem a política baiana III

Na mesma decisão que condenou os réus confessos e delatores, o magistrado apontou que era necessário receber a denúncia contra o ex-governador JW, Walter Faria e Cervejaria Petrópolis, porque uma anterior deliberação do Tribunal de Justiça da Bahia que manteve o bloqueio patrimonial já teria apontado “fortes indícios de que houve uma simulação na doação eleitoral”, e que “se confirmada a real finalidade atribuída ao negócio jurídico, ele será nulo de pleno direito, causando danos graves ao erário e ao interesse público, o que justifica tanto a propositura da ação como a medida acautelatória determinada”. A ação é uma bomba para a pré-campanha de Wagner, que vinha comemorando suposto crescimento em pesquisas de consumo interno e terá que enfrentar o duro discurso de seus opositores João Roma e ACM Neto, pretensos postulantes ao Palácio de Ondina.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: