Promiscuidade no Parquet baiano

Lendo o relatório feito pela Polícia Federal do material apreendido da ex-chefe do Parquet baiano, podemos depreender: uma total promiscuidade da relação da mesma com a delegada Gabriela Macedo; uma possível interferência nas decisões proferidas pelo magistrado Marcos Ledo; além de nomeação do Promotor de justiça João Paulo Schoucair ao Conselho Nacional do Ministério Público, mesmo havendo contra o próprio, procedimento disciplinar junto ao CNMP por supostas ilicitudes cometidas; e também a participação do advogado Pedro Scavuzzi, junto ao Governador, na escolha para o cargo de Procurador Geral de Justiça. Vamos aguardar os próximos desvendamentos.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: