CPI na Câmara de Vereadores

Ao ser pressionado a comentar as investidas da oposição, o governador Rui Costa sugeriu que também fossem investigados os hospitais de campanha montados pelas prefeituras da oposição, em especial uma unidade instalada na Avenida Paralela, no parque Wet’n Wild. Apurações iniciais feitas por nemamigoneminimigo chegam a uma organização social ASM, cujos representantes juram de pé junto que todos os serviços foram devidamente prestados e que ainda possuem quase dez milhões de reais retidos indevidamente pela prefeitura de Salvador. Ainda segundo relatos, a empresa ASM teria sido vítima de cobranças indevidas por parte de Kaio Moraes, então chefe de gabinete de Acm Neto na prefeitura. A empresa ASM, durante a execução dos serviços, foi ameaçada por agentes políticos e pessoas que diziam ter relação com a Polícia Federal na Bahia, à época. Se os representantes da ASM tiverem a oportunidade de falar em uma CPI na Câmara de Salvador não ficará pedra sobre pedra. Kaio Moraes tem muito a esclarecer sobre esse episódio.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: