Lá vem Bolsonaro descendo a ladeira

A mais nova pesquisa do Datafolha, divulgada ontem à noite, informa que Bolsonaro chegou a 53% de reprovação, e que pior que ele, desde a redemocratização do país, só Fernando Collor de Mello. O curioso é que hoje o senador Fernando Collor de Mello é um dos maiores aliados do atual presidente e seu defensor. A pesquisa repercutiu como uma bomba no Congresso Nacional, enquanto no Palácio do Planalto o silêncio tomou conta de todos os seus gabinetes. Como se vê, a cada pesquisa ele cai. Detalhe é que todos os institutos em todas as pesquisas confirmam que dificilmente ele será reeleito à Presidência da República. 

Denúncia grave: uma carteira de R$12 bilhões do Banco Econômico da Bahia, o mais antigo do país, foi comprada pelo BTG Pactual por menos de R$1 bilhão 

Ontem em Brasília, o assunto financeiro era a compra que o BTG Pactual fez de uma carteira de R$12 bilhões por R$1 bilhão junto ao BNDES. Vale lembrar que o mais antigo banco particular do Brasil, o Econômico, quando da sua liquidação, deixou milhares de acionistas com prejuízos enormes. O falecido Paulo Sérgio Tourinho, que tinha 30% do banco, e a família Abreu, com 10%, foram os mais prejudicados. O que se falava, ontem, em Brasília é que o BTG Pactual teve um grande padrinho na operação. Ninguém menos que o atual ministro da economia, Paulo Guedes. A conferir.

Não pagar precatório vai desacreditar o governo brasileiro

Não pagar precatórios é calote. Parcelar precatórios por meio de PEC só para abrir espaço no orçamento para turbinar o Bolsa Família próximo de ano eleitoral é manobra que alguns chamam de “contabilidade criativa” ou “pedalada fiscal”. No final é a institucionalização da pedalada fiscal.

Equipe econômica do governo dividida. Guedes: “fala muito e faz pouco”

O jornal Correio Braziliense, o de maior circulação na capital federal, publica ampla matéria afirmando que parte da equipe econômica do governo já não tem a mesma confiança nos destinos do país. Acha que o presidente Bolsonaro “já era” ao acreditar que o ministro da Economia, Paulo Guedes, tem tido sucesso. Com isso, dissidentes do Ministério da Economia querem uma terceira via para a sucessão presidencial de 2022.

O empresário da Bahia que dribla a Justiça deve milhões de reais e não paga

Mais de 8 mil famílias não receberam os seus direitos trabalhistas que não foram pagos. Até o advogado que cuidava do assunto reclama na Justiça o calote dos seus honorários. Todos dizem que a culpa é da Justiça comum e da Justiça trabalhista da Bahia. O devedor tem uma ampla área marítima que, segundo ele, vale R$400 milhões na Baía de Todos os Santos. O nome do proprietário da GDK, que desde 2005 esteve envolvido com a Lava Jato, é queimado, mas não respeita nada e continua incólume. 

Até a recuperação judicial a GDK não cumpriu

Após driblar a Lava Jato, César Oliveira, o dono da GDK, seguiu driblando a tudo e a todos. Justiça trabalhista e Justiça comum. Promete cumprir e ainda não cumpriu nada. O curioso é que os baianos envolvidos na Lava Jato escolhem o Corredor e o Largo da Vitória, e Ladeia da Barra e ele não foge desse ritual. Possui um belo apartamento de luxo na Ladeira da Barra num dos prédios mais caros. Viaja para o exterior e tem parentes vivendo em São Paulo. Só no Brasil. 

O filho número 04 pede que o pai ajude a mãe na CPI

Jair Renan, o filho número 04 do presidente Jair Bolsonaro, pediu ao pai para ajudar a mãe Ana Cristina Valle que foi convocada para depor na CPI da Covid da próxima terça-feira. Imediatamente a blindagem começou, embora os três filhos de Bolsonaro, Flávio, Eduardo e Carlos, não queiram se envolver, já que a Ana Cristina é considerada praticante de adultério e foi por isso que Jair Bolsonaro solicitou a separação. O caso promete até a próxima semana. 

Brasileiros voltam a Portugal para investimento imobiliário

Enquanto no Brasil o aumento de juros no setor imobiliário provoca um freio na construção civil, os brasileiros estão voltando a Portugal para fazer investimentos. Motivo principal é a violência no país e sobretudo a onda de crimes que vem aumentando diariamente no Brasil. Existem governadores portugueses que torcem para que Bolsonaro continue na presidência, porque acham que isso tem motivado a fuga dos brasileiros que investem pesadamente no país lusitano.

Código Eleitoral ainda complicado

O Senado parece não ter pressa para aprovar o novo Código Eleitoral feito e aprovado nas coxas pela Câmara dos Deputados. O presidente da Câmara, o deputado federal Arthur Lira, saiu do episódio extremamente prejudicado e sofrendo duras críticas. No Congresso, ele já não tem a confiança da maioria dos parlamentares diante das suas ligações com o governo e por pertencer ao Centrão. 

O MP da Bahia e suas ovelhas negras – I

Nessa semana, o Tribunal de Justiça da Bahia, através de voto do digníssimo desembargador Mário Alberto Hirs, ordenou o afastamento de um promotor que se valia do cargo em Camaçari para, através de cobranças feitas por sua esposa, uma advogada, tomar um “por fora” de empresários do setor imobiliário. Fica a pergunta: as empresas que pagaram “honorários” teriam sido mesmo “extorquidas” ou se trataram de propina? Só o tempo e a investigação vão dizer se tais empresas são santas ou capetas.

O MP da Bahia e suas ovelhas negras – II

No fuzuê que paira sobre o Ministério Público baiano, agora também sob ataque de investigações e operações, notícias avançam para outros membros controvertidos do órgão. Segundo apurou nemamigoneminimigo, um caso ruidoso tem rodado na boca miúda dos corredores do TJ e da Prefeitura de Salvador. Um empresário sucedido, bem quisto no seu meio e na política, deu entrada num processo de licenciamento urbanístico/ambiental em 2019 e o procedimento, após ter sido “solicitado” por uma promotora paladina da moralidade, encontra-se “retido” por ela, malgrado várias solicitações de devolução. Óbvio que não se tem a certeza devida de quem, de fato, está retendo abusivamente o tal processo, mas documentos em poder deste site, dentre eles diversos ofícios cobrando a devolução, apontam que o engavetamento vem se dando na promotoria chefiada por uma promotora ligada a área de patrimônio público, até então tida como uma exímia servidora pública. Considerando o prejuízo que pode estar sofrendo a empresa requerente, seria o caso da Corregedoria do MP avaliar se não se trata do mesmo modus operandi que vem sendo desvendado pela Operação Kauterion.

O mais antigo banco privado do Brasil, o Econômico da Bahia, tem um fim melancólico

Fundado em 1834, o Banco Econômico da Bahia era o mais antigo do país até 1995 quando sofreu intervenção do Banco Central. Agora, o fundo FIDC NP venceu o leilão realizado pelo BNDES e pelo Fundo Garantidor de Crédito. O banco foi adquirido pelo valor de quase R$340 milhões. 

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: