Governador na prática

Com uma agenda 100% voltada para a candidatura à presidência da república daqui a quatro anos, João Doria (PSDB) elegeu como governador de São Paulo seu vice Rodrigo Garcia (DEM). É Rodrigo quem governa, segundo quem acompanha os bastidores do governo paulista. Ele só não interfere na super secretaria comandada por Henrique Meirelles, que ganhou autonomia total para fazer o que bem entende.

Em guerra

Pela primeira vez em quase duas décadas, um governador de São Paulo decidiu enfrentar pra valer o PCC. Após transferir os líderes para presídios federais fora do estado e prender preventivamente grande parte das cabeças do movimento, o próximo passo será atacar o poderio financeiro da organização. Postos de gasolina, floriculturas e centros de comércio popular já estão na mira da Justiça, das Polícias Militar e Federal e da Receita Federal. O objetivo de Doria é transformar São Paulo na Suíça em termos de segurança. Pior para os outros estados que, se nada fizeram, receberão em peso grande parte da bandidagem de São Paulo.

Lava Jato na Bahia fica na praia

Frank Abubakir aguarda na praia da Penha na Bahia o final do seu envolvimento na Lava Jato. Ele é uma das figuras principais, já que só de comissão deu ao PP 20 milhões de reais em razão de operações na Petrobras. Ele figura como ator e coadjuvante, pois foi delatado e também delatou. A Odebrecht como sempre está presente. Em Brasília a ordem é acabar com o descanso dele na praia.

Previdência, antiviolência e anticorrupção vão andar juntos

O Governo quer que o Congresso Nacional aprove a reforma da previdência paralelamente com o projeto antiviolência e anticorrupção. A chance é agora, já que a opinião pública elegeu esses dois temas como prioritários para o Brasil.

Novas denúncias

Estacionamentos, reboques e postos de gasolina estão na relação de um grupo que em Salvador opera junto à prefeitura e ao estado. Dois nomes, Pedro Lima e José Matos, são apontados como líderes das ações, mas outros acabam de surgir. É negócio de muitos milhões de reais.

Fiscalização marítima

A Capitania do Portos da Bahia está preocupada com o volume de lanchas que navegam irregularmente pela Baía de Todos os Santos. A ordem agora é intensificar e também fiscalizar as lanchas que estão na marina de Salvador. Nesta área vamos ter muitas novidades.

“Brasileiro viajando é canibal”

O Ministro da Educação acabou se retratando diante da repercussão negativa de sua entrevista. Mas o que ele disse foi exagero ou uma inábil e dura exposição da verdade? Há alguns anos atrás, num hotel 5 estrelas de Miami, reserva feita por multinacional americana (Top Five), durante o check in o recepcionista ao ver passaporte brasileiro exigiu caução de USD 300 e questionado, justificou educadamente e meio constrangido: já tivemos casos de brasileiros que levaram a tampa do vaso sanitário do quarto. Hoje em dia tal exigência não existe mais em grandes hotéis temendo ações por discriminação, mas é certo que ainda precisamos de muito mais educação moral e cívica nas escolas e dentro de casa também para apagarmos essa imagem.

Médicos visados

O Ministério Público Federal e a Polícia Federal já anotaram os nomes dos médicos que atestam motivo de saúde para que acusados ou indiciados na operação Lava Jato não compareçam aos interrogatórios e audiências. O coronel Lima, testa de ferro do ex-presidente Michel Temer, e Dona Marluce Vieira Lima, mãe de Geddel e Lúcio Vieira Lima, são dois exemplos. Eles não comparecem às audiências e sempres apresentam atestados médicos.

Bebianno era Globo? (I)

Conforme já apontado pelo blog, não há qualquer dúvida que a Rede Globo é o pivô do afastamento do ministro Bebianno. Desde as eleições de 2018, já prevendo o fim de privilégios na contratação de propaganda estatal e na renegociação de suas dívidas junto ao BNDES, a Globo vem atacando de forma sistemática e sempre depreciativa a figura de Bolsonaro, familiares e seus ministros. Sabe-se agora que Bebianno estava buscando isoladamente uma reaproximação da Globo com o governo. Seria o ministro um canal para receber e avançar com uma proposta de trégua dos ataques em troca dos privilégios perdidos pela Globo?

Bebianno era Globo? (II)

A falta de isenção do jornalismo da Globo criou constrangimentos (moeda de troca?) e ao perceberem o risco de insucesso de sua estratégia de aproximação com o governo e o fim de seu interlocutor, veio o desespero pois exageraram na dose. Como que num passe de mágica, depois de semanas só batendo no PSL e suas candidatas “laranja”, a Globo conduziu uma tentativa de sobrevivência do ministro ao tentar aliviar a pressão sobre Bebianno: passou a circular com destaque em todos canais de jornalismo da Globo extensa reportagem indicando que outros partidos vivem problemas similares e recorrentes com seus “laranjas”.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: