Clubes brasileiros pedem socorro à CBF

Os clubes de futebol do Brasil recorrem à CBF, já que não têm condições de manter as suas equipes nesta paralisia. Muitos deles já estão liberando seus profissionais e ficando com os amadores. Ninguém sabe o que vai acontecer amanhã. E pelo sim pelo não, muitos clubes vão desaparecer e os poucos que sobreviverem terão muitas dificuldades, já que o brasileiro hoje não tem dinheiro sequer para comer, muito menos para pagar ingressos de futebol. 

Ações precisas…

O governo baiano está conseguindo surpreender a todos com o baixo número de vítimas da pandemia do coronavírus no estado, em comparação à outras regiões do país. Pela grande dimensão territorial com suas populações pobres, a expectativa da Secretaria da Saúde não era nada boa, considerando a agressividade da progressão da doença e as condições naturais de vida nas comunidades carentes. A verdade é que o governador Rui Costa e o seu secretário da saúde Fábio Vilas-Boas estão totalmente empenhados no combate, atuando em todas as frentes, e “derrubando” qualquer agenda oficial que não seja a COVID-19. Não é à toa que o apelido de “Rui Correria” pegou de vez entre os baianos. Ele “só pensa naquilo”!

E rezas necessárias

A Bahia de cerca de 15 milhões de habitantes, uma das primeiras a entrar em estado de emergência, fechou escolas e comércio, abriu hospitais novos e abandonados, adquiriu centenas de respiradouros e leitos, ampliou testes no Laboratório Central, inaugurou 16 UPAS no interior, e diversas outras ações administrativas, com ou sem o sinal verde do governo federal. Resultado: o estado registra 104 casos de infectados pelo vírus, já descartou quase 1.000 exames em dúvidas para a doença, não registra nenhum óbito (até o fechamento desse blog) e, desde ontem, a mídia informa altas de pacientes tratados e já liberados. Da mesma forma que todo baiano gosta de apreciar um bom acarajé, a religiosidade sempre se faz presente em suas mentes, apelando-se pra o santo de preferência sempre que a coisa aperta. Parece que vem dando certo o rogo ao Nosso Senhor do Bonfim, o protetor da Boa Terra.

Dúvidas e Covid avançam no país

Na última pesquisa realizada, 73% dos brasileiros aprovavam a quarentena. A consulta popular foi feita antes do último pronunciamento do presidente Bolsonaro, contra-argumentando a necessidade e a eficácia do isolamento geral da população. Agora, além do contágio da doença, discute-se isolamento e a liberação de alguns grupos sociais. Crescem os contrários e os a favor, autoridades de todos os tamanhos e cientistas de todos os quilates emitem as suas opiniões. Em alguns setores políticos – governo federal e governadores- a disputa pela autonomia da gestão recrudesce, tanto quanto o avanço da pandemia pelo país. Alto lá! A ECONOMIA NÃO PODE CAIR DOENTE, pois tudo tem um limite, sentenciam alguns notáveis economistas. O povo brasileiro não sabe o que fazer e em quem acreditar.

Bonitas e perigosas

As lindas praias da Linha Verde, no litoral de Salvador, continuam com alta frequência de banhistas, com ou sem pandemia de coronavírus. Jauá, Jacuípe, Arembepe, Itacimirim, Praia do Forte e mais uma dezena desses paraísos de prazer permanecem franqueados, porque esquecidas pelas vigilâncias sanitárias dos municípios responsáveis por elas. Os prefeitos de Camaçari, Mata de São João e Lauro de Freitas precisam entender que a medida protetiva contra a Covid-19 valem para todos, e são muito mais importantes do que os lucros obtidos com os seus cartões postais.

Barulho do cofre

A Rede Globo tem dado grande destaque nos telejornais aos panelaços por todo o país. A Globo só esquece que os sons das panelas reproduzem com perfeição o barulho dos cofres da emissora, que se esvaziaram em centenas de milhões de reais sem as verbas publicitárias do governo federal e das estatais. Sem faturamento, sem poder contar com as verbas publicitárias das Olimpíadas e com a perspectiva do setor privado reduzir drasticamente seus investimentos em publicidade por causa dos efeitos colaterais da pandemia, o quadro na Rede Globo já é de desolação e desespero. A linha editorial dos telejornais e a reprise de telenovelas já demonstra claramente isso. 

A volta do Econômico

Controladores de instituições financeiras perseguidas na era FHC estão prestes a ter bilhões de reais liberados pelos interventores após mais de duas décadas. O maior beneficiado da medida é o ex-banqueiro baiano Ângelo Calmon de Sá de 85 anos. Em um cenário de terra arrasada por causa da pandemia, a única certeza é que os bilhões de Ângelo valerão muito mais. 

Renova liquida

Desesperada por caixa para honrar suas obrigações, a problemática Renova Energia decidiu liquidar a preço de banana sua participação na Brasil PCH. O difícil é encontrar um comprador no meio da pandemia que confinou em casa até os ilustres e potenciais compradores.

Globo e Folha X Bolsonaro

As consequências são imprevisíveis. O confronto grupo Globo e grupo Folha X Bolsonaro se acirrou. As duas organizações batem mais em Bolsonaro do que mulher de malandro, também apanham. Neste sentido os dois grupos jornalísticos têm como artilheiros quatro governadores: João Doria de São Paulo, Wilson Witzel do Rio de Janeiro, Rui Costa da Bahia e Flávio Dino do Maranhão. Além deles, também o presidente do Senado e o presidente da Câmara. Ninguém sabe onde isso vai parar, mas aí não tem nenhum mocinho. 

Mídia social avança

Jornais e revistas do eixo Rio-São Paulo já não chegam as demais regiões do país. A crise publicitária é evidente, não há clima para nenhuma campanha, já que as empresas estão passando dificuldades. Bancas de jornais estão sendo fechadas e a mídia impressa é a que mais sofre, sem se falar em rádio e televisão. A mídia social pela internet é que está dominando e é o veículo que mais cresce junto ao opinião popular.

Mateus, primeiro os meus!

O teor da gravação do celular com o diálogo da desembargadora Sandra Inês Rusciolelli, já presa pela Polícia Federal, traz revelações desconcertantes para a integridade da Justiça baiana, e até mesmo hilárias, considerando a performance geral do poder Judiciário no país. 

ABRE A CORTINA: 

Ela [a desembargadora Lígia Ramos] já sabe que eu protejo os filhos mesmo; que eu protejo todo mundo. Eu protejo os amigos e protejo os filhos de desembargadores, mesmo… Eu disse a Socorro [ex-presidente do TJB, presa]: ‘Socorro, se seus filhos tiverem errados, eu protejo do mesmo jeito. E o Tribunal sabe que eu protejo família. Se eu puder ajudar, eu ajudo, mas prejudicar, eu não prejudico”. 

FECHA A CORTINA.

À propósito, na Bahia, em horário político de eleição passada, tinha uma candidata à vereadora que terminava seus pedidos de voto na TV com a seguinte frase: “Me ajeite, que eu te ajeito”. 

É bem por aí…

Exemplos que devem ser seguidos

O atacante Messi do Barcelona doou, ontem, um milhão de euros para hospitais da Espanha e da Argentina, isto é, 500 mil para Espanha e 500 mil para Argentina. Pep Guardiola, extraordinário técnico de futebol, doou um milhão de euros para os hospitais de Barcelona. Cristiano Ronaldo, que já havia colocado à disposição sua rede de hotéis na ilha de Madeira transformando-os em hospitais, voltou a doar dinheiro aos hospitais de Lisboa e do Porto ontem. A rede de televisão portuguesa aliada à Federação Portuguesa de Futebol iniciou uma campanha de socorro aos hospitais de Portugal e está arrecadando milhões. Isto demonstra que em países civilizados, e com craques de futebol exuberantes, médicos, enfermeiros e hospitais têm ajuda substancial. Enquanto isso no Brasil, discussões estéreis e ninguém ouve falar que ninguém e nenhuma rede de televisão, nenhum jogador de futebol, nenhum cantor ou cantora faz doação ou campanha para ajudar os hospitais e médicos brasileiros. 

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: