Em novembro acaba a fábrica de multas da prefeitura de Salvador

O novo código nacional de trânsito, que entra em vigor no mês de novembro, proíbe que radares fiquem escondidos para multar motoristas. Na Bahia, quem mais fatura com essa armadilha é a Transalvador, criada pelo prefeito ACM Neto que tem nela a sua principal fonte de arrecadação. Para se ter uma ideia, no ano passado, a Transalvador expediu 449.988 notificações de multa. Calculem quanto ela ganhou. Afinal, o ‘pequeno ditador’ é tão ousado que mesmo o governo atendendo, ontem, solicitação da CBF para volta do público aos estádios de futebol com normas, imediatamente ele disse que a Bahia não vai permitir a volta do público aos estádios. 

Pesquisas eleitorais só feitas pelo Ibope e Datafolha

Somente o Ibope e o Datafolha têm credibilidade para fazer pesquisa eleitoral. É preciso que a população fique atenta e observe que no Rio e em São Paulo os principais órgãos de divulgação só compram pesquisas do Ibope, já que o Datafolha não vende. Nas demais regiões do país, principalmente do Nordeste, existe uma “fábrica de institutos” que vendem as pesquisas ao sabor dos candidatos. Quem paga mais, vence.

A Bahia é o estado mais atingido economicamente pela pandemia

Os números são assustadores. A economia da Bahia já tem quase 18 mil empresas quebradas. É o estado com o mais longo fechamento de suas atividades. Mais de seis meses. Hotéis, restaurantes, bares, pousadas, pequenas e médias empresas não têm como voltar às atividades. Com um agravante: aqui no estado a cidade de Salvador, por exemplo, continua totalmente fechada. A crise não é mais grave porque o auxílio emergencial e o Bolsa Família estão chegando para as classes mais pobres. 

Bolsonaro já entrou apanhando na ONU

O governo brasileiro tem que entender que a opinião pública internacional está contra o presidente Bolsonaro. Antes da sua fala ontem na ONU, as maiores redes de Tv como CNN, BBC, TV5, RAI, e televisão alemã foram duras nas críticas ao presidente do Brasil. Para se ter uma ideia, uma Tv alemã já colocou ele nu fazendo chacota em certa ocasião. É uma pena que o presidente do Brasil não tenha consciência do que é a liturgia do cargo e muito menos que ‘generais de pijama’ do Exército não podem ditar a diplomacia do nosso país. 

A fuga de Flávio Bolsonaro irrita seus companheiros do Senado

Ontem, na volta da sessão presencial, havia uma irritação e descontentamento no Senado. Afinal de contas, o senador Flávio Bolsonaro tinha fugido, mais uma vez, de uma acareação com o seu suplente, o empresário Paulo Marinho, que reafirmou as graves acusações contra ele. Flávio Bolsonaro inventou uma viagem a Manaus e seus advogados pediram uma nova chance para o dia 5 de outubro.

Tudo atinge o presidente

A atitude de Flávio Bolsonaro ao fugir de mais uma acareação volta a tingir o presidente Jair Bolsonaro. Ontem no Senado, se falava que o presidente tem uma família que só faz prejudicá-lo. Os filhos, Flávio, Eduardo e Carlos, a mulher Michelle, as ex-mulheres Ana Cristina Valle e Rogéria Braga, bem como Rogério amigo pessoal do presidente e dos filhos. Além do mais tem Fabrício Queiroz e o Pastor Everaldo. 

Moro tira Lula do sério

O ex-presidente Lula anda com o nome do ex-ministro Sérgio Moro na cabeça e chega a afirmar que Bolsonaro não interferiu na Polícia Federal. Agora, o quadro fica interessante: a defesa de Bolsonaro quer apresentar ao STF, com sua defesa, o vídeo que Lula ataca Moro. Já o governador de São Paulo, João Doria, quer Sérgio Moro com seu vice na chapa para sucessão presidencial, mesmo o ex-ministro afirmando não ser candidato a nenhum cargo eletivo nas próximas eleições. 

Os dois lados do silêncio

General Heleno do GSI associou as críticas à desastrosa gestão ambiental expressa por estrangeiros ao “interesse oculto de derrubar o governo Jair Bolsonaro”. O ministro deixou para Bolsonaro, em seu discurso para ONU, culpar índios e caboclos pelos incêndios na Amazônia. Um festival de impropérios, o silêncio seria mais convincente. Mas o silêncio pode afrontar, no mesmo discurso gravado para ONU observamos a presença entre os poucos convidados de expoentes do Centrão: Ricardo Barros e Arthur Lira.

Saúde baiana

A Bahia criou uma malha de saúde no interior do estado que está sendo muito comentada em outras unidades da Federação. Por lá, o governo estadual já colocou para funcionar 16 Policlínicas Regionais de Saúde, com cerca de oito milhões de atendimentos fora da capital. Outra preocupação é a alta incidência de câncer em homens e mulheres no estado – estimativa de 32.600 em 2020 – levando a Secretaria da Saúde a empenhar-se em abrir cinco novos centros de tratamento de câncer no interior do estado. O secretário, cardiologista Fábio Vilas-Boas, informa que “a meta é concluir em 2022 toda a regionalização e descentralização da saúde pública no estado com 25 novas Policlínicas Regionais, e já no próximo ano botar pra funcionar mais cinco novos centros oncológicos”.

Ação e reação

O ex-deputado e presidente do PTB, Roberto Jefferson, iniciou a semana com “sangue nos olhos”… e isso é perigoso, haja vista o alto poder de combustão das suas falas e ações que acabam conseguindo generosos espaços nos veículos de comunicação. Jefferson, que em um pouco mais de um mês desancou moralmente ministros do STF com adjetivos, comentários e apelidos de conotação sexual, prepara a resposta na medida para seus mais novos desafetos na Bahia, prefeito ACM Neto e ex-presidente estadual do seu PTB, Benito Gama. Vem chumbo grosso por aí. O ditado popular “um boi para não entrar numa briga e uma boiada para não sair” foi feito sob medida para Jefferson. O mundo político sabe disso, é só lembrar o auê do mensalão que teve o pontapé inicial dos pés dele.

Régua e compasso

Engana-se quem pensa que Rui Costa está dando mole nas tratativas políticas para a disputa da cadeira de prefeito de Salvador agora em novembro. O governador baiano teve mesa, mapa regional eleitoral e contatos presenciais com todas as lideranças políticas do estado da Bahia durante os quatro anos em que comandou a Serin – Secretaria de Relações Institucionais – do governo Jaques Wagner. Em resumo, tratando-se de matéria Política, Rui tem todos os predicados necessários: calculista, meticuloso, incansável e frio, como convém. Dizem, os que sabem das coisas, que se fosse maneiroso como o senador Wagner seria imbatível agora e sempre na política baiana.

Até na área do funcionalismo público o Nordeste sofre na desigualdade social

A Receita Federal acaba de divulgar dados do imposto de renda, pessoa física, no Brasil. É gritante a desigualdade de rendimento do servidor público no país. Brasília tem o servidor com maior ganho e, com isso, o mais rico do país. Não é sem razão, porque no Distrito Federal reina a corrupção. 

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: