Fora Gilmar

A atitude autoritária do ministro do Supremo Ricardo Lewandowski em um voo de carreira aumentou não só a crescente rejeição ao judiciário e suas decisões polêmicas, como diminuiu a tolerância da população com os ministros que se comportam como se possuíssem superpoderes. No final da última semana, circulou nas redes sociais um novo vídeo. Desta vez, o controverso ministro Gilmar Mendes foi hostilizado por quase todos os passageiros de um voo de carreira doméstico, que gritavam em alto e bom tom “fora Gilmar”.

Fora Gilmar II

Com poucos membros do judiciário investigados e punidos, a expectativa é que a opinião pública pressione cada vez mais o futuro ministro Sérgio Moro a investigar e punir seus ex-colegas. Com mais essa dura missão pela frente, Moro já está sendo convocado para limpar a casa, muito antes de juntar ao Supremo.

Quadrilha comprovada

Um relatório da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) comprovou que o Bradesco e Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que tem a maioria dos executivos indicados pelo banco, manipularam as cotas de um fundo para roubar mais de R$1 bilhão dos controladores do finado banco Cruzeiro do Sul.

Quadrilha comprovada II

Além de recuperar um pouco mais de um bilhão de reais, a família Índio da Costa, ex-controladora do Banco Cruzeiro do Sul, terá um grande chance de fazer um bem à sociedade expondo os crimes cometidos pelo FGC e executivos de alta patente do Bradesco, que merecem passar décadas na cadeia pelos crimes que cometeram.

Colarinho laranja

Finalmente as transações criminosas de financiamento entre o Banco Itaú e sua controlada de cartões, a Redecard, estão sendo devidamente investigados. Apesar de todas as regras para coibir o financiamento pelo banco de sua subsidiária, o Itaú sempre inovou com estruturas para driblar as regras, utilizando inclusive dinheiro de terceiros sobre sua gestão. Além das punições administrativas severas, a expectativa do mercado é que altos executivos do banco da área de atacado, banco de investimentos e cartões finalmente respondam por crimes do colarinho branco que vem cometendo há mais de uma década.

Dinheiro maldito

Após a CPI dos fundos de pensão, brilhantemente conduzida pelo deputado Efraim Morais Filho (DEM), gestoras como a Legatus Asset, que prometiam facilidades para captar recursos desses fundos, estão tendo dificuldades para manter seus clientes. Quem caiu no conto do vigário deste tipo de gestora, além de não ter captado nada, terá que recorrer à justiça para não pagar suas altas taxas de gestão, que estão sendo cobradas mesmo sem nenhum centavo ter sido captado.

A pobreza da Bahia

A pobreza do estado da Bahia tem duas causas básicas. Primeiro, a falta de ação dos governos estadual e municipais na busca da melhoria da qualidade de vida das populações, leia-se urbanização, saneamento, habitação e emprego. Segundo, 2/3 da área do estado da Bahia estão no semi-árido do nordeste, uma carga muito pesada que os governos do PT nada fizeram para melhorar esta desigualdade. E Lula era nordestino e retirante. A migração da população nordestina para regiões mais ricas do país talvez seja a opção petista, vide Lula.

O carnaval de Salvador precisa ser salvo

O que já foi o melhor Carnaval de rua do país, sofre com o formato desgastado. O Carnaval de Salvador não é mais o mesmo e a concorrência têm esvaziado a festa, que precisa ser repensada. Carnaval não é política, não deveria ter dono, é do povo. Ninguém tem o direito de privilegiar ninguém ou usar em benefício próprio. Quem vive da festa na Bahia tem bradado que nos últimos anos, os organizadores têm errado muito, da contratação dos artistas à comercialização do evento. Disputas entre os governos do estado e da capital sempre existiram, mas o clima só tem piorado nos últimos anos, atingindo em cheio entidades carnavalescas que estão enfraquecidas e acomodadas. As mais conhecidas acabam preferindo se apresentar em outro estado, até por uma questão de sobrevivência.

Privilégios e libertinagem

Os organizadores da festa têm privilegiado poucos e os mesmos, e tem sufocado principalmente os blocos afros e afoxés, que sempre se diferenciarem no Carnaval, por terem se tornado grandes movimentos
e merecerem lugar de destaque na mídia nacional e internacional.
É um crime cultural não investir na preservação dessas entidades carnavalescas, que contam a história da cultura negra e desempenham
um papel social importante, fora do Carnaval. A festa em Salvador se transformou numa disputa de egos, na exploração política e comercial de espaços, e no destino incentivado da liberdade sexual, o que também tem afastado um grande número de foliões. Ao buscarem caminhos apelativos e mais fáceis pra atrair turistas, Salvador corre o risco de acabar perdendo foliões, para as bandinhas, fantasias e o humor dos velhos carnavais, reeditados principalmente no Rio de Janeiro e São Paulo.

O grande negócio tem dado prejuízo

Carnaval não é só festa, é um excelente negócio, mas nos últimos anos tem dado mais prejuízo do que lucro na Bahia e precisa ser repensado com seriedade, pela sua tradição, importância e grandiosidade. Milhares de pessoas e várias empresas, em todo o país, dependem desse evento, e o estado dos recursos que ele deixa nos cofres públicos. Carnaval precisa ser tratado como turismo de negócio que depende de trilha musical, ritmo, alegria e muita segurança. Precisa de uma boa base com as notas e vozes certas para ser desejado, atrair o melhor e maior número de consumidores, e se transformar em objeto de desejo a cada ano. Pra isso acontecer, tem que se ter um grande maestro e uma orquestra afinada, o que parece que está faltando na terra de todos os ritmos e sons.

Nem a saúde dos servidores o governo da Bahia quer pagar

A Coordenadora Geral do PLANSERV Cristina Cardoso, funcionária de carreira, entregou o cargo, em gesto que merece admiração e respeito, por não concordar com o projeto que o governo do estado enviou à Assembleia Legislativa, reduzindo em 50% a participação do estado no custeio do plano de saúde.

Razões e greve

A decisão da advogada Cristina Cardoso foi tomada por dois motivos: só depois do projeto chegar à Assembleia Legislativa ela ficou sabendo, e o mais importante, considera que tal medida vai inviabilizar o PLANSERV.
Detalhe, o governo do estado deve enfrentar várias greves até o final do ano. Polícia Militar, professores e servidores já estão se mobilizando.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: