Diga ao povo que fico!

O baiano Rui Costa bateu o martelo. Permanecerá à frente do governo estadual até o último dia do ano de 2022, doa a quem doer. A decisão do mandatário petista, em segundo mandato e bem avaliado pela população baiana, joga por terra a expectativa dos adversários oposicionistas, principalmente ACM Neto (DEM), que torcia para que Rui, fora do Executivo estadual, parasse da correria pelo interior da Bahia, dia-sim, dia-sim. Neto, fustigado pelas investidas do ex-pupilo e bolsonarista poderoso, ministro da Cidadania João Roma em suas bases eleitorais, terá de se preocupar-se, ainda mais, com o avanço intenso da máquina pública oficial em todo o estado, já que continua o firme comando de Rui Costa até o fechamento das urnas eleitorais de 2022.

Ciro Nogueira quer João Leão na sua posse na terça-feira em Brasília

O vice-governador da Bahia, João Leão, já foi convidado pelo ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, para a solenidade de terça-feira em Brasília. Além de João, também Mário Negromonte, Pedro Correia, e ainda a ex-mulher, a deputada federal Iracema Portella. Ontem, nos corredores de Brasília, o que se falava era o seguinte: “Se gritar pega o Centrão, não fica um, meu irmão”. 

Eu te prometo!

Ao informar a todos que deu carta-branca ao novo colaborador, senador Ciro Nogueira, poderoso representante do Centrão, agora chefe da Casa Civil, o presidente Bolsonaro cria a manchete dos jornais e destaque dos sites… contudo, não passa disso. Senão vejamos: Bebianno, além de advogado do então candidato à presidência, foi também o seu maior incentivador eleitoral. Durou alguns meses na Secretaria-Geral após a posse do Presidente – escorraçado e ameaçado. O general Santos Cruz também tinha a confiança e apoio do presidente para dar ordens na Casa Civil, e foi destronado e amaldiçoado logo logo. O juiz Moro ingressou no governo Bolsonaro com todo o moral da Lava Jato, recebendo promessas de independência e comando integrais nas ações do seu Ministério da Justiça. Caiu, e é envolvido em intrigas palacianas até hoje. Mandetta, o médico-ministro da Saúde, apareceu demais em uma guerra Covid que não interessava ao presidente, e até hoje é humilhado em fake news, e desacreditado pelo Palácio Presidencial. A “namoradinha do Brasil”, Regina Duarte, convidada para a Cultura, chegou a ser tietada e beijada pelo fã Bolsonaro. Entretanto, seus sonhos e planos governamentais, afiançados por Bolsonaro, não duraram nem uma temporada de verão. O próprio Paulo Guedes, apresentado como o sabe-tudo do presidente, teve que encolher seu “Posto Ipiranga” para conseguir manter-se no cargo de Ministro da Economia. Conclusão: as “cartas-brancas” de Bolsonaro são meros truques para enganar os tolinhos…

Bolsonaro, quem?

Governadores não estão dando bola para o azedume congênito do presidente Jair Bolsonaro, tocando suas campanhas locais de vacinação, além de implementarem outras ações administrativas regionais que não contam com muito empenho de Sua Excelência. Hoje, seis gestores estaduais – Wellington Dias (PI), Renato Casagrande (ES), João Dória (SP), Eduardo Leite (RS), Reinaldo Azambuja (MS) e Flávio Dino (MA) – representando, por acordo técnico, quinze chefes de executivo estaduais iniciam diálogo direto com o governo americano, em reunião online com o senador John Kerry, assessor para assuntos de meio ambiente do presidente Joe Biden. O americano, maior líder mundial, ignora totalmente o capitão-presidente brasileiro, deixando sua posição bem clara desde que assumiu a Casa Branca.

Ciro Nogueira quer aumentar de 40 para 70 o número de deputados federais do PP

O que o presidente do PP, Ciro Nogueira, quer mesmo na chefia da Casa Civil da Presidência da República é aumentar de 40 para 70 o número de deputados federais do seu partido. 

Waldemar quer Ministério do Turismo para o PL

Waldemar da Costa Neto quer o Ministério do Turismo para o seu partido, o PL, e já comunicou ao presidente Jair Bolsonaro. 

Galvão Bueno e família têm bens bloqueados para dívida não paga

Como empresário, Galvão Bueno não tem o mesmo sucesso do narrador esportivo número um da TV brasileira. Agora, a Justiça de São Paulo bloqueou suas contas bancárias, da esposa Desirée e da filha Letícia. Tudo por conta de um débito que a empresa da família, a Virtual Promoções e Participações, tem com a Lest Credit Fundo de Investimento no valor de R$1,6 milhão. Não é a primeira vez que Galvão Bueno enfrenta a Justiça por débitos não pagos em suas investidas empresariais. 

A dupla nordestina é coqueluche do Brasil

Ítalo Ferreira, o nosso ouro no surfe, e a Raysa Leal, a nossa prata do skate, formam a dupla que virou coqueluche no Brasil. Vale destacar a força da Globo, que, ninguém tem dúvidas, faz a cabeça do brasileiro. Transmitindo as Olimpíadas de Tóquio, a Vênus Platinada é corresponsável pelo sucesso que a maranhense e o potiguar estão fazendo não só no Brasil como no exterior. 

CPI da Covid vai se antecipar à CPI das Fake News

A decisão já está tomada: a CPI da Covid vai ouvir os implicados nas Fake News produzidas pelo ‘gabinete do ódio’ no Palácio do Planalto. Ninguém confia mais na CPI das Fake News no Congresso Nacional, presidida pelo senador do PSD da Bahia, Angelo Coronel, depois que ele passou a figurar na delação premiada da desembargadora do Tribunal de Justiça da Bahia, Sandra Inês.

Duda Mendonça põe à venda uma das mais lindas casas da Bahia

Em Barra Grande, na Bahia, o mago da publicidade nacional, Duda Mendonça, colocou à venda a sua mansão. Ela já hospedou a República, além de novos nomes famosos do jet set nacional e internacional. No mercado imobiliário é coisa de R$ 20 milhões. E vale.

Brasília espancada

O mistério se repete. No passado, depois de o Brasil parar com a expectativa da revelação novelesca de ‘QUEM MATOU ODETE ROITMAN?’, o país está, atualmente, em suspense total e alimentado por milhões de comentários – do Oiapoque ao Chuí – sobre quem teria espancado a jornalista e deputada federal Joice Hasselmann. A agressão pesada a uma mulher famosa e corajosa em suas opiniões políticas, dormindo em sono pesadíssimo dentro do próprio apartamento funcional em Brasília, mexeu com o imaginário de todos. Mídia e população em geral querendo entender o insólito caso – e qual será o desfecho – trazem inveja a qualquer roteirista ou escritor de enredos criminais. O Brasil aguarda…

Ardido como pimenta

É surpreendente a relação de mandonismo – e humilhação – dispensada pelo presidente Jair Bolsonaro aos seus colaboradores de governo antigos e atuais. Bebianno, Santos Cruz, Moro, Mandetta, Pazuello todos foram deixados pelo meio do caminho sem nenhuma cerimônia. Alguns até amaldiçoados. Até mesmo o amigo “das antigas” general Ramos teve que dar seu lugar na Casa Civil ao chefão do PP, Ciro; já o vice general Mourão, vez por outra, é colocado em escanteio ou ridicularizado por sua excelência, o capitão-presidente, que revela ser um vice atrapalhado. Só com os filhos, Bolsonaro mantém a plena cordialidade. 

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: