Gilmar Mendes sofre ataque violento

“Canalha, corrupto, bandido, sócio de Beto Richa, viajando doze vezes a Portugal, como você pode ter um patrimônio de vinte milhões”. Quem disse tudo isso, gravou em mídias sociais e falou no Senado, foi o líder do PSB na casa, Jorge Kajuru. Sabe a quem ele se referia? Ao ministro do STF, Gilmar Mendes. Em Brasília este é o assunto. Até agora o ministro Gilmar Mendes nada respondeu.

Casa misteriosa

Uma importante figura do judiciário baiano adquiriu uma mansão no condomínio Nossa Senhora da Penha na Ilha de Itaparica, onde ficam os ricos no luxuoso condomínio. O mais interessante é que parte do imóvel foi pago por um conhecido joalheiro baiano. O detalhe é que a mansão não foi ocupada, o que está causando estranheza. Tem algo de podre no reino da Dinamarca.

Outra briga pela sucessão do mais antigo jornal da Bahia

O juiz Murilo Carvalho Filho da justiça trabalhista na Bahia julga denúncia de que o Jornal a Tarde, o mais antigo do estado, faz caixa dois para não pagar dívidas trabalhistas a mais de 500 ex-funcionários. Segundo a denúncia, Cleber Soares e João Cândido Mello Leitão criaram empresa paralela em nome do primeiro, onde mantém uma contabilidade imune a bloqueios de dívidas.

CIA e Polícia Federal selam acordo

Não foi sem razão que o presidente Jair Bolsonaro visitou o FBI e a CIA. Acompanhado pelo ministro da justiça e segurança pública Sérgio Moro, eles foram recebidos e selaram um acordo entre a maior agência de inteligência do mundo e a Polícia Federal. Vão trocar informações permanentemente, o que, aliás, diga-se de passagem, a operação Lava Jato já vinha fazendo com o FBI. Quem estiver envolvido em denúncia de corrupção e tiver dinheiro no exterior terá novos problemas.

Estreia com sucesso

O presidente Jair Bolsonaro não poderia escolher melhor palco para sua estreia e visibilidade mundial. Na visita que fez aos Estados Unidos conseguiu ser alvo de notícias das principais redes de televisão do mundo, discutiu temas com a maior nação do mundo que jamais nós brasileiros tínhamos tratado. Esteve nas duas maiores agências de informação do mundo, FBI e CIA. Conseguiu ser distinguido pelo presidente Donald Trump e seu ministro da economia Paulo Guedes brilhou. Uma viagem de sucesso e de realização. O Brasil está voltando a se inserir no panorama mundial como país de primeiro mundo.

Quem falou a verdade?

Ontem, dois ex-ministros do governo Lula prestaram depoimentos à força tarefa da Lava Jato. Antonio Palocci, o todo poderoso, declarou que Lula recebeu dinheiro quando o Brasil comprou aviões e navios franceses. Nelson Jobim, que participou do processo como ministro, declarou não ter conhecimento das vantagens oferecidas a Lula. Neste rolo ninguém sabe quem é quem. Ocorre que Palocci foi muito mais próximo de Lula e de Dilma do que Nelson Jobim.

Emílio vai para prisão

Vence no final deste ano – 2019 – o prazo que Emílio Odebrecht pediu para a força tarefa da Lava Jato para cumprir os quatro anos de prisão que aceitou na sua delação premiada. Os primeiros dois anos em regime semi aberto com obrigação de se recolher à noite e nos finais de semana e usando tornozeleira eletrônica e dois anos no regime aberto com recolhimento nos finais de semana.

Marcelo sai da prisão

Marcelo Odebrecht que cumpre prisão domiciliar em regime fechado em sua casa em São Paulo deve sair para o regime semi aberto a qualquer momento. Ele é inimigo do pai e da família, aliás, só tem contato com um dos irmãos, Maurício Odebrecht, que hoje é o presidente da Kiepp, controladora da Odebrecht.

Lobistas da Odebrecht pagaram para sair da prisão

Os lobistas da Odebrecht Hamylton Padilha e Álvaro Novis pagaram caro para sair da prisão. Hamylton depois da sua delação devolveu 70 milhões de reais e Novis seis milhões de reais. Ocorre que Novis tem milhares de ligações que ainda estão sendo degravadas pela Polícia Federal. Padilha tem pena de oito anos e Novis de seis anos de prisão. O lobista mais caro é Julio Farman, que desembolsou mais de 180 milhões de reais para ir para casa, imagine o quanto ele roubou.

BNDES: O ralo de dinheiro I

Durante o governo do PT, o BNDES foi utilizado para que empresários criminosos ganhassem dinheiro sem qualquer esforço e risco. A tática era simples, eles apresentavam projetos para obter financiamentos e conseguiam a aprovação mediante pagamento de propinas dentro do banco. Com o dinheiro em mãos investiam em títulos da dívida pública que remuneravam com base na taxa SELIC, que em 2015 era de 14,25%. Ocorre que os empréstimos obtidos eram remunerados a taxas irrisórias subsidiadas que iam de míseros 2,5% e giravam em média nos 5,1%. No mesmo ano o IPCA, que mede a inflação média do ano, era de 10,65%.

BNDES: O ralo de dinheiro II

Em resumo, o Tesouro Nacional emitia títulos para financiar os programas do BNDES captando dinheiro do mercado financeiro pagando aos investidores 14,25% ao ano, o BNDES emprestava esse capital aos empresários recebendo de juros em média 5,1% ao ano, os empresários recebiam os empréstimos com juros que sequer cobriam a inflação e com o dinheiro compravam títulos da dívida pública. Façam as contas, recebiam mais de 10% ao ano sem trabalhar, sem produzir, sem arriscar seu capital e sem esforço pegando dinheiro do governo subsidiado e emprestando de volta para esse mesmo governo.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: