Globo e Folha declaram guerra ao governo

Foram justamente estes dois veículos que mais incentivaram e noticiaram a greve da última terça-feira. Só não disseram que era em razão do corte de verbas federais. O mais duro é que entre os manifestantes era nítida presença da CUT, que não tem nada ver com universidade no Brasil. Impressionante foi que a Bandeirantes e a Rede Record deram a entrevista do presidente Bolsonaro em Dallas e também noticiaram que o governador de São Paulo, João Doria, em evento em Nova York, não só defendeu e destacou o presidente do Brasil, como criticou duramente o prefeito de Nova York, que atacou o presidente da República.

 

Sumiu

Fabrício Queiroz, depois de ser operado em São Paulo no fim do ano, sumiu. Ninguém sabe seu paradeiro. Enquanto isto, o senador pelo PSL do Rio de Janeiro, Flávio Bolsonaro vem sofrendo ataques violentos da Globo e Folha de São Paulo. A “Rachadinha” usada na Assembleia Legislativa do Rio também por muito tempo foi utilizada pela Câmara Federal, isto é, o parlamentar paga aos assessores e depois o assessor entrega uma parte ao parlamentar. O ex-deputado Lúcio Vieira Lima foi acusado e na delação premiada foi dito que ele fazia assim no seu gabinete. O conselho de ética da Câmara disse que ia apurar, mas Lúcio ameaçou detonar tudo e o presidente da conselho de ética, o deputado Elmar Nascimento, nunca mais tocou no assunto e muito menos convocou Lúcio.

O Rio não anda

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, jantava ontem à noite e destacava que luta sozinho para recuperar o estado dilapidado por Sérgio Cabral, Anthony Garotinho, Luiz Pezão e outros. O governador lamenta que a bancada federal do Rio só cuida de política, não consegue projetos para o estado muito menos recursos junto aos ministérios. PSOL, PCdoB e demais partidos só fazem prejudicar o Rio e o governador tem como aliados apenas MDB e PSDB.

Sem repercussão

A festa em Nova York, organizada pelo LIDE, que reuniu os presidentes do Senado, da Câmara e do STF, foi ignorada pelos principais jornais e televisões norte-americanas. O curioso do encontro é que o presidente do STF participou da festa juntamente com o presidente da Câmara dos Deputados, que está envolvido em vários processos da Lava Jato.

A Globo reconhece a crise a vai para o varejo

O Grupo Globo resistiu o que pode, mas não aguentou. A retirada da publicidade oficial – leia-se Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, Petrobras, BNDES, Banco do Nordeste e ministérios – foi fatal para o grupo. Ele perdeu receita e audiência. Este blog já vem alertando seus leitores de que a queda era eminente. O Grupo Globo acaba de distribuir um boletim oficial onde sai da chamada venda especial e seletiva e vai para o varejo. Não só para o grupo mas também para suas afiliadas, que também estão quebrando de ponta a ponta no Brasil. Desde 13 de maio, passou a comercializar inserções de 10 e 15 segundos em toda sua programação sem limite de quantidade por atração, inclusive nos intervalos do Jornal Nacional.

Globo x Record

Com mais saúde financeira que o Grupo Globo, a Rede Record apoia o governo do Rio e a prefeitura que querem levar a Fórmula 1 de volta para o Rio de Janeiro. A Globo, que detinha o controle da Fórmula 1, começou a perder audiência e recursos e quis entregar o grande prêmio de São Paulo para o proprietário, que não aceitou. O presidente da Fórmula 1 foi ao Rio e conversou com o governador e o prefeito que aceitaram promover a volta da Fórmula 1. O governo federal quer construir um autódromo, mas o governo de São Paulo não quer que a Fórmula 1 saia da capital paulista. A luta agora não é entre Rio e São Paulo. É entre a Globo e Record.

A dupla voadora

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, ambos do DEM, estão em Nova York. O presidente do Senado afirma que foi participar de um jantar promovido por um banco estrangeiro e Maia foi acompanhá-lo; passagens e hospedagem às custas do Congressos Nacional. Enquanto isto, sem nenhuma direção, o poder legislativo não conseguiu controlar os vários quadros partidários e DEM, PP, PT, PCdoB e outros querem cargos enquanto o governo diz que não dá.

Câmara dos Deputados segura a entrada de empresas aéreas no Brasil

O lobby da Gol e da Latam na Câmara Federal deve valer alguns milhões de reais. Até agora, o projeto do Senado que permite entrada de empresas aéreas estrangeiras no Brasil continua nas mãos do presidente Rodrigo Maia, que foi citado como beneficiário de propina por um dos acionistas da Gol. É lamentável que a Latam e a Gol cobrem passagens caras, malas, assentos preferenciais e até multas para quem desistir de última hora. O lobby é muito forte.

Censura na TV Senado

Senadores da Rede deram entrevista na manhã de ontem reafirmando propósito para que o presidente Davi Alcolumbre coloque em votação o pedido de impeachment para o presidente do STF Dias Toffoli e o ministro Alexandre de Moraes. Assim que a entrevista foi para o ar, o presidente do Senado ligou de Nova York e mandou suspender outras apresentações.

Seguro saúde aumenta

Sem que a população tome conhecimento, as seguradoras de saúde aumentaram em mais de 20% as mensalidades. Não é sem razão que mais de 250 mil brasileiros já desistiram dos planos de saúde. A força das seguradoras e seus lobbies no Congresso Nacional e no Judiciário deixam com que elas cobrem o que desejam dos pobres dos segurados. Disso o Congresso Nacional não cuida. Fica só com futilidades.

STF faz balanço da Operação Lava Jato

O ministro do STF Edson Fachin, relator da Lava Jato, já colocou na rede do tribunal todos os processos por ele julgados na Operação Lava Jato. Uma curiosidade é que na gestão de Cármen Lúcia o Supremo julgou o maior número de processos. A boa notícia é que o dinheiro da corrupção que estava no exterior já está voltando ao Brasil e vai ser investido nas áreas de educação e saúde. O montante é muito valioso.

Como acreditar no jornalismo da Globo?

Na última segunda-feira, a Globo mais uma vez deu uma prova da sua parcialidade em informação jornalística. Um dos proprietários da Gol, Henrique Constantino, teve sua delação premiada aceita pela justiça. Nela ele declarou que pagou propina a Michel Temer, Eduardo Cunha, Geddel Vieira Lima, Henrique Eduardo Alves, ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e até ao filho do ex-presidente Lula, o famoso Lulinha. A Globo só deu os nomes de Michel, Geddel e Eduardo. Michel Temer, aliás, solto ontem pelo STJ depois de mais uma prisão. Bem verdade que quando ele era presidente da República, a Globo o tratava a pão de ló.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: