Interesses suspeitos I

Desde o ano passado, não foram poucas as vozes que criticaram a postura do governo federal ao fechar as portas para o estímulo à extração do gás natural e incitar uma mão inversa e irracional: a importação do gás em 2019 foi de 9,9 bilhões de m³, enquanto a pobre “pátria amada” reinjetou 15,7 bilhões de m³, beneficiando petroleiras estrangeiras e determinados executivos ligados ao Ministério da Economia, segundo contam as más línguas. Conforme fonte da mais alta confiança, mas que pediu reserva, as suspeitas recaem sobre DIOGO MAC CORD, que sucedeu o bilionário Salim Mattar na Secretaria de Desestatização, Desinvestimentos e Mercados. Esse jovem, que curiosamente tem o sobrenome “FARIA”, ainda segundo a fonte do nemamigoneminimigo, é crítico fervoroso de seu antecessor, na verdade, tais críticas decorreriam de inveja, um pecado capital. Mac Cord quer ser um bilionário como Mattar, e com esse business do gás importado, parece que vai conseguir rapidinho. 

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: