Pequeno ditador

O atual prefeito de Salvador e presidente do Democratas, ACM Neto, que tem governado a capital da Bahia ultimamente à distância via iPhone, demonstrou sua herança genética ao inviabilizar de maneira extremamente cruel a candidatura do deputado Rodrigo Pacheco ao governo de Minas. Preocupado com o andamento da operação Lava Jato após as eleições presidenciais e com seus interesses, Neto, como um pequeno ditador, rifou Pacheco mesmo após a convenção do DEM mineiro homologar sua candidatura no último domingo. Para convencer Pacheco a desistir de concorrer a governador, Neto cortou os recursos do fundo partidário do partido que seriam destinados a disputado governo de Minas. Com a manobra do pequeno ditador, além de garantir palanque único para Alckmin no segundo colégio eleitoral do país, aumentaram as chances do senador Antonio Anastasia liquidar a fatura em Minas ainda no primeiro turno.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: