Bilhões de Minas

Com Moro na Justiça, Bolsonaro na presidência e Romeu Zema governador, finalmente a escandalosa renovação do contrato de exploração de nióbio entre a Codemig e a família Moreira Salles, controladora do Banco Itaú, será devidamente investigada, revista e o contrato poderá até mesmo ser rescindido. Este blog teve acesso aos contratos assinados pela antecessora da Codemig, a Comipa, e, após sua análise, fica praticamente impossível entender porque o Estado de Minas, após mais de quatro décadas, contínua recebendo o mesmo percentual em royalties, mesmo com todos os investimentos feitos pelo CBMM para lá de amortizados. Como a renovação ocorreu em governos tucanos, os senadores Aécio Neves e Antonio Anastasia, ambos do PSDB, terão muita dificuldade para explicar porque abriram mão de bilhões em royalties para agradar o interesse da família de banqueiros. 

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: