Bolsonaro: 100 dias (I)

Esses dias foram marcados por erros primários no núcleo Twitter familiar, narrativas inadequadas de alguns ministros e um policiamento implacável da imprensa tradicional. Não foi só de erros o desempenho do governo, os acertos relevantes foram intencionalmente desmerecidos por boa parte da imprensa e mídia, capitaneados pela Rede Globo. Uma postura tendenciosa privou a população do principal papel de uma imprensa responsável: imparcialidade ao relatar. De tudo fica o aprendizado de mais moderação entre membros do governo e a certeza de convivência com parte de uma imprensa desmascarada e sem credibilidade.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: