CPI do BNDES

Se confirmou muito acertada a demissão de Joaquim Levy da presidência do BNDES. Em seu depoimento na CPI ele tentou sem sucesso convencer que não existe tal caixa preta ocultando operações duvidosas a países “companheiros” e os campeões nacionais (JBS, Eike Batista, Odebrecht, Rede Globo, etc ). Levy acabou revelando seu papel de agente duplo e se juntou aos companheiros Paulo Bernardo e Guido Mantega que, em audiências anteriores, também não conseguiram justificar o desvio de finalidade e manobras regimentais no BNDES, a lisura e transparência na concessão dos empréstimos, todos sem análise de risco, com fragilidade nas garantias ou até mesmo sua inexistência. Em uma CPI sem apoio político (Rodrigo Maia) e visibilidade na mídia tradicional, costumazes protetores de seus patrocinadores e interesses, brilham os deputados Kim Kataguiri e Paula Belmonte pela competência em suas argüições.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: