Todos de volta à PF pela operação “Furna da Onça”

A entrevista-denúncia do empresário Paulo Marinho vai trazer de volta um dos “teatros de horrores” da política nacional. Foi o escândalo da Alerj no Rio de Janeiro, quando o governador e deputados foram presos e, nessa altura, surgiu o nome de Fabrício Queiroz, que era o operador do então deputado estadual Flávio Bolsonaro. Ele estava sumido e como Paulo Marinho, vai ter que depor na Polícia Federal e no Ministério Público Federal.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: