O beijo da morte

O empresário carioca Paulo Marinho não deixou por menos no seu Twitter a lembrança da data do falecimento de Gustavo Bebianno, ex-dirigente do PSL, aproveitando para estocar o antigo candidato Bolsonaro, apoiado por ele “Essa data me fez lembrar um dia durante a campanha em que estávamos na minha casa e você disse: ‘Se nós não fizermos tudo certo, podemos sair presos’. Hoje eu entendo a sua preocupação e não tenho mais dúvidas de que você será preso, é uma questão de tempo. Sua omissão, negligência e incompetência criminosas já custaram quase 300 mil vidas brasileiras. O seu governo é o beijo da morte!”. Paulo Marinho cedeu a própria casa para o quartel-general da campanha vitoriosa de Bolsonaro. Agora é a consciência e verdugo dos Bolsonaros.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: