Vacinação: cotidiana confusão

Quantidade pequena de doses, atrasos no envio dos lotes de vacinas para os estados, pouco empenho da Anvisa na análise e liberação de outros tipos de imunizantes para uso no país, agora surge mais um problema no atual PNI (Programa Nacional de Imunização). Inexiste uma regulamentação nacional para definir outros grupos prioritários que devem ser vacinados após a etapa atual dos idosos e profissionais de saúde. Em resumo, uma confusão geral com cada estado e município resolvendo, domesticamente, quem pode e quem não pode vacinar primeiro. Isso não pode dar certo, principalmente com o “cobertor curto” de poucas vacinas disponíveis pelo país afora.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: