Aulas sim, aulas não

Na capital baiana, toma corpo um embate ferrenho entre a Secretaria Municipal de Educação e a Associação dos Professores Licenciados da Bahia (APLB). A discórdia do retorno ou não às aulas no próximo dia 3 de maio, tem tudo para crescer muito mais. A APLB, já programa greve para a mesma data em que o poder municipal marcou a abertura das aulas, e quer vacina para todos os trabalhadores da educação, sem qualquer outra distinção. As críticas de lado a lado estão longe de um consenso: A Prefeitura de Salvador alega que essa reivindicação do Sindicato empurraria o início das aulas só para o distante mês de novembro; e a APLB denuncia que a Secretaria Municipal da Educação está querendo atender aos interesses das escolas particulares, não ligando para a pandemia e os perigos de saúde de alunos e professores. Na espera, pais e responsáveis pela garotada não sabem em quem acreditar…

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: