Questões de responsabilidades III

A acusação do secretário Jean Gorinchteyn tem a característica de prevaricação funcional por parte da Anvisa, que autorizou o passageiro a circular pelo aeroporto livremente, mesmo com sintomas de dor de cabeça. “Esse indivíduo não poderia circular em áreas comuns, fazer uma imigração, pegar mala com outros passageiros. Deveriam fazer o teste em local privado, e se desse positivo, tomarem as medidas de isolamento”. Vale lembrar que no início da pandemia, equipes da Secretaria da Saúde da Bahia tentaram agilizar uma barreira sanitária no Aeroporto Internacional de Salvador, avaliando turistas que chegavam em lotes. Foram proibidos pela Anvisa e, inclusive, obrigados a interromper a ação preventiva no local. Aliás, por rodovias e aeroportos sem barreiras canceladas por ordem superior é que a Covid-19 se espalhou para destinos turísticos baianos.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: