Quem saiu e quem ficou preso da Justiça da Bahia

Por decisão do ministro do STJ, Og Fernandes, deixaram as grades as desembargadoras Ilona Márcia Reis e Maria do Socorro Barreto de Araújo, ex-presidente do TJ Bahia, além de mais três investigados na Operação Faroeste da Polícia Federal, que investiga a venda de sentenças no Tribunal de Justiça da Bahia. Voltam para suas residências em Salvador, com obrigação de uso de tornozeleiras, e uma série de restrições de contatos e deslocamentos. Outro grupo de implicados e também presos, continuará trancafiado, com destaque para o “quase Cônsul” da Guiné-Bissau, empresário Adailton Maturino, considerado o principal protagonista do comércio de sentenças judiciais baianas, preso por diversos apontamentos nos autos, além de diversos registros de identidades falsas.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: