Viúva do miliciano morto na Bahia insiste em fazer delação premiada

As circunstâncias das mortes da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, em março de 2018, e do ex-capitão da PM Adriano Magalhães da Nóbrega, em fevereiro de 2020, ainda não foram totalmente esclarecidas. O Ministério Público Federal do Rio de Janeiro não chegou até agora aos mandantes dos assassinatos de Marielle e Anderson. Já o Ministério Público da Bahia tenta desvendar se Adriano foi morto numa troca de tiros com a polícia, conforme versão oficial, ou torturado e executado como alega a família dele. É isso que a revista Veja dessa semana revela, dizendo que Júlia Melo Lotufo, a viúva dele, negocia uma delação premiada onde promete explodir tudo. 

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: