Pesquisa não ganha eleição

“Se macumba ganhasse jogo, o campeonato baiano terminava empatado”. A máxima do filósofo do futebol Neném Prancha cai bem na hora de refletir sobre a atual batalha das pesquisas nas eleições baianas deste ano. Principalmente porque um dos candidatos ao governo, muito chegado às miçangas e mandingas da Bahia e um covarde por natureza, aposta todas as suas fichas na crença de vencer por meio de pesquisas manipuladas a disputa eleitoral para o governo estadual antes da contabilização da última urna da votação de dois de outubro. ACM Neto, menino mimizento, ex-prefeito de Salvador, que já apelou à justiça para impedir que seu nome nas sondagens estivesse vinculado a qualquer candidato presidencial, agora tentou evitar judicialmente a divulgação do resultado da pesquisa da AtlasIntel pelo A Tarde. Para sua frustração, a liminar não foi concedida e o tradicional jornal baiano estampou na capa números que sinalizam a queda de ACM Neto na intenção de votos e a ascensão adversária, o que foi apontado com uma possível virada. Por que não? No levantamento da Genial/Quaest, uns dias atrás, já fora revelado comportamento semelhante no eleitorado quando os pré-candidatos tiveram seus nomes associados aos dos presidenciáveis. ACM Neto caiu, Jerônimo subiu e encostou, além disso o desempenho alcançado por João Roma consolida a decisão no segundo turno. Não se deve descartar, diante do declínio do baixinho, uma final entre Jerônimo e Roma, reproduzindo o embate nacional entre Lula e Bolsonaro, o que não é difícil. Afinal, o povo vai digitar números na hora de votar e há certa tendência de repetir o 13 de Lula ou o 22 de Bolsonaro para governador, o que vem levando o ex-prefeito de Salvador ao desespero e não ter vergonha nem de desrespeitar a legislação eleitoral para divulgar o seu desconhecido número em vídeos nas redes sociais. Acorda, baixinho! Se pesquisa ganhasse eleição, Wagner não teria sido governador tampouco Rui Costa e, muito menos, Bolsonaro seria presidente da República! Que o diga, Neném Prancha…

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: