Frouxo Neto

Se Deus poupou Juscelino do sentimento do medo, no caso de ACM Neto, exagerou na dose de covardia. Após inúmeras tentativas frustradas para impedir a candidatura de João Roma, a última do ex-prefeito de Salvador, por meio de seu partido, o União Brasil, foi querer tirar do páreo o petista Jerônimo das eleições ao governo da Bahia. A inusitada artimanha junto ao PT, noticiada pela coluna de Guilherme Amado, do site Metrópoles, propunha alianças entre as legendas na Bahia, São Paulo e Pernambuco, onde o presidente do União Brasil, Luciano Bivar, sairia candidato a senador, abandonando a pretensão presidencial. Na Terra da Garoa, o partido apoiaria a candidatura petista ao governo de Fernando Haddad. E, na velha Bahia, o pequeno ditador ACM Neto se tornaria o candidato oficial de Lula, que goza ainda de grande popularidade entre os baianos. É um prato muito indigesto para os petistas da Boa Terra, que não engoliram o aliado Otto Alencar para governador, quanto mais fazer campanha para o neto de Toninho Malvadeza. O sonho do baixinho de se eleger governador da Bahia sem adversários vai se transformar na tragédia de ficar fora do segundo turno. Castigo para um frouxo neto, ou melhor, nato!

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: