A luta de um guerreiro

João Paulo Diniz não morreu de infarto! Perpetuar essa versão é um desserviço ao alerta que precisa ser feito sobre a doença que possuía e que não deve(ria) ser negligenciada. Essa é a opinião do cardiologista, ex-secretário de saúde da Bahia e candidato a deputado federal, Fábio Vilas-Boas. De acordo com o especialista, a morte de João Paulo joga luz sobre uma doença pouco conhecida do público, mas que a cardiologia reconhece o risco bem estabelecido de morte súbita, principalmente quando associada a esportes e atividade física intensa: a miocardiopatia hipertrófica. Trata-se de uma doença de base genética, inclusive com risco familiar para parentes próximos. Em alguns casos, a única forma de reduzir o risco de morte é implantar um dispositivo tipo marca-passo, o desfibrilador, no coração. Seu implante reduz drasticamente o risco de morte súbita em pacientes com essa doença. O diagnóstico pode ser feito com uma avaliação clínica e exames simples como eletrocardiograma e ecocardiograma.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: